Aciaja reconhece o valor de historiadores de Jaboticabal

8

“Acontecimento não registrado é história esquecida”. A frase do professor e historiador Antônio Pascoal André, dita durante o evento “Valores da Nossa História”, no qual ele foi um dos homenageados, é emblemática e denota um valor para Jaboticabal: sua história nunca será esquecida porque tem sido detalhadamente registrada por historiadores que receberam o devido reconhecimento na bela noite promovida pela Associação Comercial, Industrial e Agronegócios de Jaboticabal.
Além do professor André, outros três historiadores receberam a homenagem da Aciaja por ajudarem a preservar a memória de Jaboticabal: os professores Zina Castelletti Bellodi e Luiz Carlos Beduschi e o advogado Dorival Martins de Andrade. Os quatro envolvidos no projeto de fascículos “Personagens da História de Jaboticabal”, além de produções individuais, foram aplaudidos por familiares, amigos e membros da Aciaja, na noite de 30 de outubro.
Após a execução dos Hinos Nacional e de Jaboticabal, a homenagem foi aberta pelo presidente da Associação, Maurício Palazzo Barbosa, que destacou a importância do reconhecimento a pessoas que estão mantendo viva a História de Jaboticabal. “Parabéns por este trabalho feito de forma humilde e voluntária, como disse o professor André. Agradeço, em nome da Diretoria da Aciaja, pelo que fizeram e vêm fazendo pela memória de Jaboticabal. Que este trabalho continue, já que sabemos que o interesse que move vocês é unicamente preservar a nossa história”, disse. As homenagens prosseguiram com a entrega das placas realizada pelo presidente da Aciaja e pelos diretores Nelson Aparecido Pretty e Arthur Dória Guzzo, além do vice-prefeito.
Zina foi a primeira a receber sua placa e discorreu sobre as habilidades de cada um de seus colegas. “Nos tornamos um grupo de trabalho de resultados, que tem apresentado um volume razoável de produção de resgate da História de Jaboticabal. E, por esse motivo, estamos sendo homenageados hoje, e sinto isso como demonstração de respeito e consideração pelo nosso trabalho”, discursou.
Dorival, por sua vez, agradeceu à Aciaja pelo respaldo ao empreendimento do grupo de historiadores. “É uma honra saber que a nossa luta em defesa do acervo cultural de nossa cidade tem reconhecimento. E este acervo é acumulado em quase dois séculos de história. Temos a Gomes e Puccini, o Estadão, o jornal O Combate, o Colégio Santo André, entre outros, como entidades de mais de um século. Registrar a História de Jaboticabal reveste-se numa nobre missão”, resumiu.
O professor André agradeceu à equipe de colaboradores da Associação, que, segundo ele, não poupou esforços para que o evento se concretizasse. “Acredito que temos colaborado voluntariamente para o resgate de nossa História, porque quando os fatos que ocorrem em uma comunidade não são registrados, com o passar do tempo, deixam de fazer parte da memória coletiva. Caso sejam preservados, os documentos e as fotos nos permitem conhecer e renomear fatos que marcaram o desenvolvimento de uma instituição, a vida de uma personalidade, a história de uma cidade”, frisou.
Beduschi encerrou os discursos contando um pouco de sua trajetória e de como começou o projeto “Personagens da História de Jaboticabal”, que já tem 61 biografias, em 17 fascículos. “Somos setentões! O Dorival é o decano e o André, o mais novinho. Somos aposentados, mas não inativos”, brincou Beduschi, agradecendo a homenagem em nome de todos os historiadores que os antecederam como Antonio Gonzales Sobrinho, Ayres de Campos e Nelson Coutinho, entre outros. Após encerrar a série de discursos, ele entregou a Maurício Palazzo a coleção completa dos fascículos, cedida por Mário Ferreira, da Gráfica Santa Therezinha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.