Aniversário de Jaboticabal: dezesseis de julho dia consagrado à Nossa Senhora do Carmo, a cidade de Jaboticabal completa 189 anos de idade. Nasceu pelas mãos de um português chamado João Pinto Ferreira que, em 1.817, adquiriu as terras da denominada Fazenda Cachoeira e que posteriormente passou a se chamar Fazenda dos Pintos. Consta, nas páginas da história da cidade, que João Pinto Ferreira em 1.828, então com a demarcação da fazenda fez a doação da propriedade ao patrimônio da Nossa Senhora do Carmo, hoje padroeira do município.

Curiosos à sua origem e o nome dado à cidade de Jaboticabal: antes, era o povoado do Pontal do Rio Pardo. Em 1.857 o distrito foi elevado à categoria de Freguesia, em 1.867 à de Vila e em 1.868 foi instalada a primeira Câmara Municipal. Foi, depois, elevado à condição de cidade com a denominação de Jaboticabal; o surgimento do nome se deu em consequência de um bosque de jabuticabeiras nativas existente dentro da Fazenda de seu fundador, João Pinto Ferreira. Jabuticabal significa, pois, Bosque de jabuticabeiras. A palavra jabuticaba é de origem indígena (Tupi) encontrada na expressão “IAOUTI KAUA” fruto de que se alimenta o jabuti.

A grafia do nome da cidade sempre foi Jaboticabal. Todavia, não faz muito tempo, se pretendeu surpreendentemente mudar o nome da cidade para Jabuticabal. Posteriormente, precedidas de longas controvérsias e para evitar alterações em sua história, o nome Jaboticabal foi oficializado através da Lei Municipal nº 421 de 20 de setembro de 1.960.

Além dos nativos que obviamente já habitavam nos primórdios da instalação da futura cidade e de outros ligados à área rural, foi pouco e pouco recebendo imigrantes de toda sorte, incluindo também portugueses, espanhóis, japoneses, árabes e italianos. Foi daí que, a partir do século XX, em decorrência do aumento da densidade demográfica e do seu sólido desenvolvimento, Jaboticabal passou a ser um dos polos mais importantes da região com nítida abrangência nos espaços educacional, comercial e industrial. Por isso que o município, nas últimas projeções estatísticas, é responsável por aproximadamente 8,5% do PIB do Estado de São Paulo, sendo que a massa produtiva anual vai além de cento e sessenta milhões para uma renda per capta de dois mil e quatrocentos reais. Por razões essas que Jaboticabal está na posição de octogésimo quinto município paulista que reúne as melhores condições de vida. Fica na posição de 302% no contexto nacional. E para visualizar a cidade num leque maior, considerando as suas atividades econômicas no que tange à agricultura, à indústria, comércio e prestações de serviços, é também exportadora de açúcar e amendoim.

Desde longa data e graças à condução elogiável dos homens públicos que vêm deixando marcas históricas na administração da cidade, o município sempre se pautou pela dedicação à assistência educacional aos seus munícipes. Por esse motivo, a taxa de alfabetização já atinge a marca de 92,6%. E não é sem razão que Jaboticabal, desde os seus primórdios, é chamada de Athenas Paulista mercê do traço cultural do seu povo e o permanente apoio de suas várias e tradicionais instituições de educação.
Há outros emblemas que caracterizam o município. É chamada “Cidade das Rosas”, exportadora da beleza feminina que sempre encantou os seus munícipes e aos que se agregam às visitações à cidade. É também chamada “Cidade da Música”, identificada, entre outras, na “Corporação Musical de Gomes Pucini”, na “Sociedade Filarmônica Pietro Mascagni”, todas detentoras de prêmios nacionais e na inesquecível “Orquestra Sul América”, no passado, patrocinadora dos bailes festivos da cidade.
E mais uma vez, homenageamos Jaboticabal, cidade com mais de 70.000 habitantes, sempre conduzida e impulsionada pela faina incansável de seus filhos e o labor diuturno da sua gente.

Vamos comemorar o Aniversário de Jaboticabal de 189 anos!

e-mail:hcsilveira@uol.com.br
*Foto: TripAdvisor

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.