Casais em home office investem em acordos e limites

19

Dizem que um pouquinho de saudade faz bem. Quando o marido ou a esposa viajam para um congresso, por exemplo, a volta ganha um sabor adicional: presentinhos, saudades e novidades dão a tônica. Mas e quando o casal trabalha em casa, não sai aos finais de semana, não viaja, não vai a um barzinho ou ao cinema. Só home office, a expressão inglesa que quer literalmente dizer “trabalho em casa”! Aí pode dar atrito!
A chave para dar certo este relacionamento intenso (até demais, na opinião de muitos casais!) é diálogo, flexibilidade e paciência, ou seja, fazer um acordo de respeitar o espaço e horário de cada um. Entre tantos desafios familiares durante a pandemia, portanto, este tem se mostrado especialmente delicado.
E como fazer a organização do home office em casal quando os dois estão trabalhando intensamente? Não há receita para fazer funcionar, muito menos garantia de que essa divisão será igualitária. Há famílias que optaram por turnos diários. De manhã a mãe trabalha e o pai cuida das crianças. À tarde ambos trocam. Quem fica com as crianças também é responsável pelas tarefas domésticas que devem ser feitas naquele período, como preparar a próxima refeição ou pendurar a roupa no varal. Outras famílias vão organizando os turnos dia a dia, conforme a demanda de trabalho de cada um.
Há mães e pais que estão tentando trabalhar junto com as crianças. Dá certo em alguns casos, mas algumas vezes não. E é claro que este formato não funciona para todos os tipo de atividade profissional. Atendimentos psicológicos ou psiquiátricos pedem silêncio e atenção, tornando inviável a criança no mesmo ambiente. A relação de sigilo também faz com que qualquer outra pessoa que esteja no mesmo cômodo a comprometa.
A psicóloga Bruna Serra Montedor observa que ter como colegas de trabalho os nossos filhos e parceiros (as), de fato, é algo bem desafiador. “O diálogo, a flexibilidade e a paciência são imprescindíveis nesse momento. Não devemos ser tão radicais. Estabelecer uma rotina é de extrema importância, no entanto não devemos nos cobrar demais em cumprir exatamente o que foi planejado ou ‘render’ como se estivéssemos em nosso ambiente tradicional de trabalho, afinal vivemos momentos de descontração e de descanso nesse home office, como se alguém colocasse um ‘final de semana’ dentro da nossa rotina de trabalho”, disse Bruna.
Para ela, os combinados são bem importantes tanto para o casal como para os filhos, afinal a mulher lida com a “reputação”, muitas vezes imposta por ela mesma, de que precisa dar conta de tudo e com as dificuldades em dividir as diversas responsabilidades: organização da casa, educar e cuidar dos filhos e, agora, com os desafios do trabalho, tudo junto e misturado! “E o homem experimentando novas atribuições no lar, então, mais do que nunca: um vai precisar sentar no chão com a cria para que o outro possa trabalhar e vice-versa. Acredite, poderemos viver experiências incríveis e criar novos hábitos para cultivarmos quando retornarmos à normalidade”, encerrou a psicóloga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.