Começar o ano com as contas em dia

59

Janeiro é conhecido por ser um mês de calor, final de férias e, infelizmente, de pagar muitas contas. Depois do fôlego que o décimo terceiro salário deu para muita gente, é hora de usar parte do que sobrou das compras de Natal e das viagens de fim de ano para pagar impostos, matrículas, material escolar, etc.
Para que seja possível começar o ano (e, de preferência, terminar também!) no azul é importante traçar estratégia financeiras. O professor de Finanças Aleksander Kuivyogi Avalca, em entrevista ao O Combate, listou algumas dicas que podem ajudar a começar o ano de forma mais organizada.
A primeira delas é cautela com festas e férias. “Quem trabalhou o ano inteiro e já extrapolou com os gastos de Natal às vezes ainda faz reservas de lugares legais para passar as férias, mas exagera nos gastos. Por essa razão, é importante fazer um planejamento de quanto se tem e quando se pode efetivamente gastar com as férias”, disse Avalca.
Pra quem está endividado com o cartão de crédito estourado ou usando cheque especial, é interessante utilizar parte do décimo terceiro para quitar as despesas maiores. “Ou seja, se você está endividado, quite todo o valor e se planeje melhor para este ano”, aconselhou.
Avalca fala que é importante a mentalidade e a inteligência financeira, ou seja, saber como usar melhor dinheiro. “Adaptar a vida com a nossa realidade e viver como puder e não como quiser. É necessário preparar-se para a vida que se quer ter, por meio de reserva e investimentos, buscando estudar sobre finanças pessoais. Uma das promessas para este novo ano deve ser: comprometer-se a colocar como meta de 2020 trabalhar a mentalidade financeira”, diz.
O ponto mais importante para que a receita esteja alinhada com as despesas, conforme o professor de Finanças, é fazer um planejamento financeiro. “O ideal é fazer plano para os três meses seguintes. Colocar em uma planilha o quanto a família recebe. Depois disso, listar todas as despesas: aluguel, prestação, seguro, condomínio, presentes de datas comemorativas, carnaval, férias. Se ao final do planejamento o saldo estiver negativo, é necessário voltar às despesas e começar a fazer cortes. Dessa forma, é possível fazer ajustes para que nos próximos três meses não haja prejuízo”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.