Corte de árvores na Unesp Jaboticabal gera polêmica

328

Uma denúncia agitou as redes sociais de Jaboticabal nesta semana: a de que no campus da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV) – Unesp Jaboticabal estavam sendo cortadas inúmeras árvores. Em meio a uma onda de sustentabilidade e de tentativa de preservação do meio ambiente, a notícia caiu como uma bomba e acionou o alerta dos ambientalistas.
O diretor da FCAV, professor Pedro Luís da Costa Aguiar Alves, explicou, no entanto, que o corte das árvores foi necessário por questão de segurança. “Estamos cortando dois bosques: um de pínus, atrás da Biblioteca, e outro de eucalipto, atrás dos Anfiteatros I e II. Ambas espécies são exóticas e o corte é permitido. Esses bosques são antigos (mas não centenários) e não foram mais manejados, o que fez com que as árvores crescessem para fora das áreas, como um buquê, fazendo com que saíssem do seus centros de gravidade, podendo cair a qualquer momento”, informou o diretor.
Segundo ele, após o levantamento feito por um profissional, constatou-se que algumas árvores estavam mortas e outras parcialmente condenadas, o que poderia acarretar no efeito dominó, com uma caindo e levando outras junto, pondo em risco pessoas, carros e edifícios. “Com o início das chuvas, esse risco aumenta e temos recebido reclamações frequentes de galhos que caem causando danos aos carros. Por sorte, não tivemos nenhuma pessoa sendo atingida. Nesses bosques há algumas espécies nativas que foram plantadas e outras espontâneas. Essas árvores serão mantidas. O bosque de pínus deverá ser repovoado/replantado. No local do bosque de eucalipto deverá ser feita uma praça, a praça dos formandos, onde serão colocadas as placas de todos os formandos, com bancos, pergolados, etc. em harmonia com as árvores remanescentes”, declarou Alves.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.