Cuidado com a postura na gravidez evita dores nas costas

147

Dores nas costas e problemas de postura são bastante comuns durante a gravidez. E isso não é nenhuma surpresa. O corpo da mulher muda drástica e rapidamente ao longo da gestação. E essas mudanças vão muito além do ganho de peso. Estima-se que metade das gestantes irá ter pelo menos um episódio de lombalgia durante a gravidez ou no puerpério.
Mas, por que será que isso acontece? Segundo a fisioterapeuta Walkiria Brunetti, com o aumento das mamas e do abdômen, há um deslocamento do centro de gravidade para frente. “Isso leva a mudanças na postura, redução do arco plantar, hiperextensão dos joelhos e anterversão pélvica. Essas alterações acentuam a lordose lombar, causando tensão na musculatura ao redor da coluna, podendo levar às dores”.
A fisioterapeuta comenta que a compressão dos grandes vasos causada pelo útero leva à redução do fluxo de sangue na medula. “A má circulação nas estruturas da coluna é causa de dor, e isso costuma ser mais comum no último trimestre da gestação. Observa-se também que a retenção hídrica (inchaço) e a frouxidão dos ligamentos, provocada pela relaxina, hormônio secretado na gravidez, tornam a mulher mais suscetível a dor”.
Segundo um estudo publicado pelo Jornal de Ciência em Fisioterapia em 2016, durante a gravidez o peso da mulher tem um aumento de 15 a 25%, o que causa um impacto maior em tendões, ligamentos e juntas. “Quanto maior o ganho de peso na gestação, maior a chance de ocorrer instabilidade na coluna e aumento da lordose lombar, o que resulta em dor. Por isso, controlar o ganho de peso é fundamental”, comenta Walkiria.
“O corpo feminino está preparado para todas essas alterações da gestação, mas isso não significa que elas virão sem dores ou problemas de postura. Além de controlar o peso, é importante procurar alguma atividade física que ajude a trabalhar a postura, assim como a fortalecer os músculos responsáveis pela estabilidade da coluna. Um bom exemplo é o Pilates”, diz a especialista.
O Pilates ajuda no fortalecimento da musculatura do core, que dá estabilidade para a área pélvica e para a coluna. Além disso, melhora a respiração. Todos esses aspectos são importantes para a gestante, tanto para enfrentar a gravidez com mais conforto, como também para o momento do parto.
A fisioterapeuta Geiza Cristina da Silva explica que durante o período gestacional existem outras formas de exercícios sem ser o Pilates para que esses nove meses sejam tranquilos. “No meu caso, eu trabalho com a fisioterapia no período gestacional para o preparo do pré-parto e pós-parto também. De início trabalhamos o fortalecimento da lombar, pelve e exercícios de fortalecimento do períneo para diminuir e prevenir a incontinência urinária durante a gestação, além de exercícios de agachamento (cócoras) que vão ajudar a dar uma boa dilatação e facilitar na hora do parto”, comenta Geiza, completando que exercícios respiratórios para facilitar na hora de fazer a força para a expulsão do bebê também são fundamentais. “O fortalecimento da pelve é muito importante, pois facilitar o trabalho de parto na passagem do bebê. Esse trabalho que faço ajuda muito na hora do parto normal. Deixo as gestantes bem preparadas e confiantes para esse momento maravilhoso em suas vidas”, concluiu Geiza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.