Especialistas aconselham a não incentivar “namoro” de crianças

32

Provavelmente sem nenhuma maldade você já deve ter escutado alguém dizer para uma criança (ou talvez você mesma tenha falado!) algo como “ele é seu namoradinho?”, “qual dos seus coleguinhas de escola é seu namorado?”, “hummm, vai lá dar um beijo na sua namorada!”. Namoro é assunto do mundo dos adultos, e embora tenha o verniz de uma brincadeira, esse tipo de prática não deve ser incentivada. Pode parecer exagero, mas vamos especialistas alertam para a adultização de crianças, não só na maneira de vestir (sandalinhas de salto, maquiagem, penteados, unhas pintadas, etc.), mas também na maneira de comportar-se e esta questão do “namoro” é uma delas.
Para Vera Zimmermann, psicanalista do Centro de Referência da Infância e Adolescência da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), vivemos em uma sociedade machista que, em parte, provoca essa adultização precoce. Em idade escolar, meninos são incentivados a terem uma “namoradinha”, e meninas são ensinadas a comportar-se.
“Muitos pais interpretam o interesse pelo outro, as preferências por tais e tais amigos, as primeiras escolhas infantis, como algo de romance. Não se trata disso. A criança só está aprendendo a fazer amigos e a se relacionar. Não são namoradas ou namorados. Essa é uma projeção dos adultos”, destaca a psicanalista
Segundo ela, se repetimos isso tantas vezes, é porque é mesmo muito importante: criança tem que brincar. “mSe por acaso seu filho ou filha chega em casa dizendo que namora algum amiguinho, a recomendação é que os pais digam ‘ah, você está brincando com seu amigo. Só adultos namoram’.Chegará a hora em que os pequenos não serão mais crianças e o interesse pelo namoro irá brotar naturalmente. Não ganhamos nada apressando esse processo”, concluiu Vera.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.