Falta de uso de fio dental causa vários danos à saúde bucal

263

É comum as pessoas escovarem os dentes após as principais refeições. Entretanto, na hora de passar o fio dental, muitos “se esquecem”. O que muita gente não sabe é que o mau hábito de negligenciá-lo pode trazer muitos danos, tanto à saúde bucal quanto à do organismo de forma geral, podendo ser até mesmo um fator de risco para o AVC – Acidente Vascular Cerebral e o infarto do miocárdio.
De acordo com pesquisa realizada pelo Datafolha, 57% dos brasileiros utilizam o fio dental diariamente e, apenas 30% o utilizam mais de uma vez por dia. “O ideal é utilizar o fio dental após as refeições e, principalmente, antes de dormir, pois as horas ininterruptas de boca fechada contribuem para a proliferação de bactérias. Se há restos de comida entre os dentes, a situação só piora, podendo ocasionar doenças da gengiva, como gengivite que, em seu estado mais avançado, é denominada doença periodontal”, afirma o Dr. Paulo Coelho Andrade, especialista em implantodontia e odontologia estética, em entrevista ao O Combate.
Segundo ele, a gengivite é caracterizada pelo sangramento da gengiva e, em alguns casos, um leve mau hálito. Já na doença periodontal, a halitose fica mais acentuada e pode haver até mobilidade dental, ocasionando, inclusive, a perda de dentes. “O problema, se não tratado em tempo hábil, costuma comprometer até os ossos que funcionam como base de sustentação para os dentes”, esclarece.
O dentista explica que, como as doenças são inflamatórias e caracterizadas pelo sangramento da gengiva, há grande risco de bactérias caírem na corrente sanguínea e se alojarem em artérias cerebrais ou coronárias, ocasionando a interrupção ou mau funcionamento da nutrição para o cérebro e coração, respectivamente. Além destes problemas, pode-se desenvolver uma doença chamada endocardite bacteriana – doença coronária grave – ou até septicemia, levando o paciente à morte.
Os problemas, apesar de graves, têm tratamento e, principalmente, prevenção. Uma boa higiene bucal aliada a visitas periódicas ao dentista – de seis em seis meses – asseguram a saúde oral. “Antes de escovar os dentes é necessário o uso do fio dental. O hábito deve ser criado desde a infância, com os dentes de leite. O fio deve ser passado em todos os sulcos gengivais, até o último dente. Para cada um, deve ser utilizada uma parte nova do fio”, afirma.
Na hora da escovação, o dentista indica escovas de cerdas macias. “Existem várias técnicas de escovação, que são indicadas de acordo com cada paciente. É de suma importância que todas as superfícies dos dentes sejam escovadas. Escovar os dentes com muita força pode causar retração gengival e consequente sensibilidade dentária. O ideal é ficar atento às orientações do seu dentista”, completa o Dr. Paulo.
O cirurgião dentista João Leonardo Della Libera Filho reforça as informações do Dr. Paulo e lembra que o que o paciente às vezes não entende é que somente o uso da escova não é suficiente para uma higienização bucal. “O fio dental ou a fita dental é usada para higienizar uma região que a escova não tem nenhuma ação. Por exemplo, se fossemos ver, um dente possui cinco faces ou lados, desta forma, as faces que estão em contato umas com as outros, não recebem nenhuma higienização. Sendo assim, com a escova higienizamos somente três faces, as outras duas ficam sem higienizar”, explica.
O Dr. João Leonardo vai mais longe e faz uma comparação. “Jogando em cálculos matemáticos, 40% fica sem higiene nenhuma. É muita coisa. Na tentativa de convencer meus pacientes, costumo fazer uma analogia, em caso de recebimento do salário: se ele tiver um desconto de 40%, o que ele acha da ideia? Então o uso do fio ou fita dental não é uma frescura ou um charme e sim uma necessidade real de melhorar e prevenir das doenças citadas acima”, concluiu o especialista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.