Jaboticabalense participa de livro sobre Constelações Sistêmicas

19

Constelação Sistêmica é uma intervenção terapêutica que parte do princípio de que muitos dos sofrimentos humanos têm sua origem na história do sistema, nos eventos traumáticos ocorridos e no desrespeito às leis sistêmicas. Teve início com as Constelações Familiares e, atualmente, abrange diversas áreas: a familiar, a organizacional, a pedagógica, a jurídica. O livro “Constelações Sistêmicas: diversos olhares para diferentes realidades”, de 338 páginas, organizado pela consteladora Ana Lúcia Braga, que é mestre da formação do curso de Constelação, aborda o tema. Ele foi escrito a várias mãos e contou com a participação de uma jaboticabalense: a psicóloga e também consteladora Lucy Barbosa.
Lucy escreveu junto com Ana Lúcia e Rita Maria Gaona o capítulo 26, que trata da clínica social. “Responsabilidade social no campo das Constelações Sistêmicas é tema que abordamos. O livro é voltado para todas as pessoas que têm interesse em conhecer mais sobre as Constelações Sistêmicas Familiares”, contou Lucy.
Ela explica que a técnica foi criada pelo alemão Bert Hellinger, que usou várias técnicas psicológicas com vários grupos, mas percebeu que muitas situações não mudavam para pessoas que ele atendia. “Ele foi estudando e depois de algum tempo chegou à técnica das Constelações Sistêmicas, que é uma opção terapêutica que torna possíve identificar e solucionar problemas de pessoas e organizações”, explicou Lucy.
A consteladora conta que Hellinger descobriu que por amor e honra à família, quando um ancestral deixa situações por resolver, pessoas de gerações seguintes trarão o sentimento e o comportamento à ação para a resolução destas situações, emaranhando-se e permanecendo, assim, prisioneiros a fatos e eventos pelos quais não são responsáveis e muitas vezes sequer têm conhecimento. “Esta é uma herança afetiva, uma transmissão transgeracional de problemas familiares, que acaba criando uma sequência de destinos trágicos. Para que o amor flua de maneira livre, consciente e harmoniosa dentro de uma família, é preciso respeitar três forças que regem um sistema familiar: pertinência, hierarquia ou ordem, e equilíbrio”, explicou a consteladora.
A Constelação, segundo Lucy, pode ser feita de maneira individual ou em grupo. É uma técnica que pretende devolver a ordem, trazer o equilíbrio e restabelecer o fluxo amoroso. E o livro lançado na OAB de Ribeirão Preto, no dia 12 de abril, e já disponível nas livrarias trata justamente deste tema e abre as portas para todas as pessoas conhecerem um pouco mais sobre esta técnica que tem tido efeitos tão positivos. Vale a pena a leitura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.