Lavar, proteger e hidratar as mãos: cuidados fundamentais

21

Nunca as pessoas lavaram tanto as mãos. O que deveria ser feito rotineiramente, só se torna um hábito quando as pessoas se deparam com uma epidemia ou, neste caso, com uma das mais graves pandemias dos últimos tempos. A médica Tatiana Santos Dias Sicca lembra que como o coronavírus pode ficar na pele, a higiene constante da mesma é primordial.
“Lavar as mãos com água e sabão quando cumprimentar as pessoas ou tocar em objetos, e, se em determinadas situações não tiver acesso à pia, usar o álcool gel à 70%”, indica a Dra. Tatiana. A médica explica que pessoas sensíveis e com a pele mais seca podem ter dermatites irritativas devido ao excesso de lavagem e ou de álcool gel. “É recomendado que essas pessoas usem hidratante após cada lavagem para melhorar o ressecamento e evitar a inflamação”, aconselha.
A médica destaca que se for possível escolher entre água e sabão e álcool gel, é preferível a primeira opção. Tanto faz ser sabonete líquido ou em barra. A limpeza das outras áreas da pele, além das mãos, também é importante, usando sabonete neutro uma vez ao dia. “A lavagem tanto das mãos como do corpo deve ser minuciosa. Em relação ao cabelo, é preferível mantê-lo preso para trabalhar ou lidar com outras pessoas. As unhas devem ser mantidas curtas e limpas”, sugere.
A Dra. Tatiana observa que durante o período de quarentena, muitas pessoas aproveitam para colocar a casa em ordem. “A sugestão é fazer a limpeza com luvas para proteger a pele da agressão dos produtos de limpeza. Usar o hipoclorito na limpeza do ambiente para também impedir a entrada e instalação do vírus nas superfícies, tem-se mostrado uma das melhores opções”, diz.
Segundo a médica, o coronavírus não causa lesões específicas de pele. No entanto, quando inflamada, a pele fica mais frágil e menos resistente. “Essa inflamação facilita a propagação do vírus. Portanto, as pessoas com doenças de pele como eczemas, psoríase, lúpus, impetigo, acne, entre outros, devem evitar aglomerações e contato direto com as pessoas, pois estão mais susceptíveis à contaminação pelo vírus. Outra questão importante é a exposição excessiva ao sol que pode provocar queimaduras e facilitar a propagação do vírus na pele lesada. Mantenha os cuidados com o uso do filtro solar que precisa ser bem espalhado e ser reaplicado corretamente”, informa.
“O coronavírus não atinge a pele de forma direta, mas permanece na mesma e pode contaminar as pessoas. A pele com doenças inflamatórias como psoríase, acne, eczemas, queimaduras entre outros pode ser mais sensível ao vírus pois está mais fragilizada. Os procedimentos estéticos podem ser adiados no momento. Não entre em pânico com a pandemia e mantenha os cuidados com a sua pele”, aconselhou a Dra. Tatiana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.