Maíra Daloia, sua doçura e seu talento

218

Maíra Marchioratto Daloia é jornalista de formação, esposa, mãe, filha, irmã, amiga e, acima de tudo, uma doçura. O que escolheu como profissão está intimamente ligado a este perfil doce traduzido pelo olhar sereno dos belos olhos verdes, que ora parecem ser azuis.
Filha de Maria Inês Marchioratto Daloia e de João Batista Daloia Filho, Maíra nasceu em Jaboticabal, em 9 de agosto de 1982. Irmã da Bartira e do João Neto, casada com Guilherme Henrique de Carvalho e mãe do Pietro, Maíra hoje é destaque na área de confeitaria. Um orgulho para Jaboticabal.
Embora seja formada em Jornalismo pela Unesp/Bauru, ela descobriu com o tempo sua verdadeira vocação. “Desde pequena minha mãe sempre preparou nossas festas de aniversário. Fazia desde o bolo e docinhos até a decoração. Eu cresci aprendendo que essa preparação fazia parte da festa em si. Raramente contratávamos prestadores de serviços. A gente mesmo que colocava a mão na massa e curtia muito. Quando me casei, em 2007, participei de cada escolha, cada detalhe e o que mais me encantou foi o bolo. Foi meu primeiro contato com um bolo de andar, decorado em pasta americana. Me apaixonei! Depois disso, passei a assistir programas de TV e fazer pesquisas na internet para aprender mais sobre bolos decorados e comecei a arriscar alguns para a família. Em 2011, o nascimento do meu filho Pietro reascendeu essa paixão pela celebração à vida! A cada mês montava uma mesa em casa, com bolo, docinhos, para comemorar seus ‘mesversários’. Depois vieram as festas de aniversário. A cada ano um desafio. Eu comecei a fazer bolos de andares cenográficos, decorados em pasta americana, sempre dentro do tema que meu filho escolhia. Ele se encantava e pra mim isso bastava”, conta.
“Deus me abençoou com a maternidade e meu filho me presenteou com seu mundo encantado! ‘O fantástico mundo do Pietro’. Foi este o tema de seu terceiro aniversário, quando criei a frase que carrego comigo como missão: seu mundo pode ser mais doce, colorido e divertido! Nesse ano, arrisquei alguns bolos por encomenda.
O tempo passou e no aniversário de cinco anos do Pietro o tema foi “Terra do Nunca”. “Fiz cinco bolos cenográficos para celebrar esta data inesquecível. Fiz doces decorados, lembrancinhas, e foi a primeira festinha que fizemos em um buffet infantil, já morando em Pirassununga, onde residimos atualmente. A decoradora ficou encantada e como na cidade não havia quem fizesse esse tipo de trabalho, me incentivou muito a começar. A cada ano uma festa de aniversário, muitos pedidos para que eu fizesse para outras pessoas e eu sempre negava. Foi então, em junho de 2016, que eu resolvi, da noite para o dia: vou fazer bolo para vender!”, conta a entusiasmada confeiteira.
“Tudo começou na festa junina da escola do meu filho. Os pais podem montar barraquinhas e eu escolhi vender bolos. Era 11/06/2016 e nasceu oficialmente a ‘Confeitaria Maíra Daloia’. Desde então, não parei. Receber o retorno de cada cliente sobre meus bolos e doces, ver a carinha de alegria e encantamento das crianças ao ver seus doces decorados, seus bolos personalizados, tudo isso faz essa loucura ter sentido e ser extremamente gratificante”, comemorou.
Maíra conta que nestes dois anos e meio trabalhando com confeitaria, fez inúmeros cursos com profissionais excelentes, o que a capacitou para aprimorar o cardápio. “Minhas produções e até mesmo minha dinâmica dentro da cozinha também foram aprimoradas. No início deste ano, passei de aluna a professora. Tive o privilégio de viajar pelo Brasil com o curso de Number Cake, bolo ou biscoito decorado em formato de número, que fiz despretensiosamente para celebrar o aniversário de 93 anos da minha avó Elza e estourou em todo país”, relembrou.
Maíra fala que estar entre os melhores profissionais da área a deixa honrada e ratifica a certeza que está no caminho certo. O segredo para seu sucesso ela credita à família e ao amor com que faz suas receitas. “Nossa rotina não é fácil. Moramos longe dos meus pais, dos meus irmãos, mas sempre que aperta um ou todos eles dão um jeito de aparecer por aqui pra me socorrer. Então todo mundo entra na dança, ou melhor, na produção! Esse respaldo que recebo deles não tem explicação e talvez isso se reflita em cada bolo, em cada doce. Faço como se fosse pra eles, para as pessoas que mais amo”, avaliou a empresária.
Maíra sempre vem ver a família em Jaboticabal e recentemente concluiu um curso de seis meses, na cidade, de formação de boleiras. “Foi muito emocionante conviver com 25 mulheres da cidade e região, compartilhando experiências e passando conhecimento. Durante o curso, muitas já começaram a produzir bolos e colher frutos, o que para mim foi uma grande benção”, disse, completando que para 2019 tem planos de seguir com a produção de bolos e doces, além de ministrar cursos presenciais e online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.