Mesada para os filhos: quando e quanto dar?

54

Dar mesada? A partir de qual idade? Como definir o valor? Há risco de tornar a criança materialista demais? Dinheiro pode parecer um assunto do mundo dos adultos. Elaine Sales, economista, mãe de dois e criadora do Filhos Mais Ricos, uma série de atividades e brincadeiras visando a educação financeira infantil, diz que é possível introduzir aos poucos o assunto de forma leve e lúdica a partir dos quatro anos.
Segundo a economista, a noção de tempo e o saber esperar é fundamental na educação financeira infantil. E uma ótima ferramenta é um calendário linear. A linha do tempo horizontal auxilia a criança a situar-se, favorecendo o entendimento dos dias que passam e dos acontecimentos do presente, passado e futuro. Ele pode ser usado quando a criança quer um brinquedo e é preciso esperar até o aniversário ou o Natal, por exemplo.
Fazer junto com as crianças a lista de compras do supermercado e levá-las junto, de acordo com Elaine, é uma boa atividade também. Usar com equilíbrio e aos poucos as palavras “caro” e “barato” ao escolher os produtos da lista vai familiarizando as crianças com esse vocabulário.
“Moedas, notas de dinheiro, mesada e semanada nunca devem ser recompensas por bom comportamento ou por que a criança ajudou a arrumar os brinquedos ou a limpar a casa. Uma coisa não deve estar ligada à outra. A família deve conversar com as crianças sobre as noções de querer e de precisar. Precisamos de comida, roupa para esquentar-se e uma casa para morar. Queremos um chocolate, uma bicicleta e um tênis novo, por exemplo. Usar objetos e brinquedos e separá-los nessas duas categorias pode ser uma brincadeira divertida”, diz a economista.
E quando começar a dar a mesada? A partir dos seis ou sete anos, pode-se introduzir a mesada com periodicidade semanal – a chamada semanada. Nessa idade, as crianças ainda têm dificuldade de lidar com um horizonte maior de tempo. Elas percebem o ciclo semanal que é quando a rotina da casa se altera: elas ficam sem ir à escola, os pais ficam em casa. Dos 8 aos 10, 11 anos, se os pais quiserem, podem fazer uma transição da semanada para a quinzenada. Dar dinheiro de 15 em 15 dias. A partir dos 11, 12 anos, a criança já tem condições de lidar com um ciclo mensal. O dia do recebimento pode ser o mesmo dia em que os pais recebem o salário.
Quanto dar de mesada? Segundo os economistas, o importante é os pais passarem a noção muito clara do nível econômico deles. O filho não tem que receber o mesmo valor de mesada que o colega da classe recebe. Se a sua condição financeira é um pouco melhor que de alguns, pode receber um pouco mais. Mas o ideal é que o filho não receba a mesada mais alta nem a mais baixa da turma. A média é sempre o ideal.
A mesada é um instrumento de educação financeira. Ela por si só não ensina nada. Junto com a mesada, os pais têm que dar orientação. É por meio da mesada que elas vão experimentar as situações típicas da vida adulta: querer comprar alguma coisa e ela custar mais caro do que a sua renda; precisar juntar duas ou três mesadas para atingir o objetivo; aprender a valorizar a mesada pedindo descontos, comparando preços.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.