Passear é preciso, mas como fazer da maneira certa?

113

Devido à falta de disciplina, os passeios com os cães podem tornar-se uma tarefa complicada. No entanto, exercícios físicos proporcionam um momento de conexão com o dono, além de ótimo benefício para a saúde de ambos, o animal e seu tutor. A médica veterinária Bruna Firmo, doutoranda da Unesp Jaboticabal, dá algumas dicas de como passear com seu cachorro sem que um dos dois volte para casa mais estressado do que saiu.
“Algumas situações podem tornar o passeio desagradável para o tutor ou para o cão, porém a boa notícia é que a maioria pode ser evitada com alguns cuidados básicos. Antes de levar seu pet ao passeio pela primeira vez é importante familiarizá-lo com a coleira em casa, para evitar medo do objeto ou fugas inesperadas. Após o pet acostumar-se, é importante ensiná-lo a acompanhar seu tutor pela guia, de preferência de um único lado para evitar acidentes caso ele tente cruzar a frente do tutor durante o passeio. É importante sempre treiná-lo com paciência e pelo método do reforço positivo, recompensando-o pelos seus acertos”, ensina.
Segundo Bruna, o tutor deve manter-se calmo durante o período juntos, ajudando o cão a controlar sua ansiedade. “O costume de associar palavras como ‘vamos passear’ e estimular a euforia antes do passeio pode excitá-lo a ponto de torná-lo incontrolável, o que prejudica o prazer do passeio para ambos. Pegue a coleira e a guia e só a coloque no pet quando ele tiver se acalmado. Se ele ficar muito agitado, sente e aja como se o plano fosse ficar em casa. Quando ele estiver tranquilo e não estiver esperando, coloque a coleira e saia para passear. Isso o fará entender que estar tranquilo é a condição para que vocês possam sair de casa e, aos poucos, essa agitação inicial deixará de existir. Na hora de sair de casa, o tutor deve ser o primeiro a colocar os pés para fora. Assim, o pet vai entender que quem conduzirá o passeio não é ele. Na rua, pause a caminhada caso o cachorro comece a andar na frente ou a puxar a coleira. Espere, novamente, que o animal se acalme, para continuar o passeio”, disse Bruna.
“O cão se adapta e aprecia a rotina. Sendo assim, é recomendado estipular um horário de passeio para que tenha melhor proveito. Entretanto, não cumprir com a rotina pode deixá-lo ansioso. Em contraste, durante o passeio é interessante inovar para que o torne imprevisível e interessante para seu pet. A inovação é uma arma contra o tédio e pode ser aplicada com mudanças no percurso ou nas atividades e brincadeiras (pausa para brincar com graveto ou brinquedo) ou com participação de outras pessoas e pets durante o percurso ou em uma pausa (como um dog park ou estabelecimento pet friendly) para estimular a socialização”, aconselha.
Bruna fala que é importante ser um tutor consciente, levando sacos plásticos para recolher as fezes do cão, evitando que o seu divertimento incomode outras pessoas que frequentam o mesmo local. “A sua segurança e do seu pet é tão preciosa quanto das demais pessoas e pets presentes no local. Portanto, se o seu cão for agressivo, coloque focinheira e impeça que chegue perto de outros animais ou pessoas. Deve-se também evitar passear em horários com temperaturas extremas, pois o asfalto quente pode machucar as patas (chamado coxins). Nos dias de chuva, entretanto, pode-se usar capas de chuvas para pets e garantir a secagem do pet após o passeio”, sugere a veterinária.
Além disso, durante o passeio, converse com o seu cachorro. Isso ajudará os animais inseguros a se sentirem à vontade na rua e fará com que os pets que já estão acostumados com o passeio gostem ainda mais de dividir esse momento com você.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.