PhD pela Universidade de Harvard abre Congresso na FCAV

197

“Eu me sinto realizada por não ter sido impedida por nenhum obstáculo e por não ter desistido”. A declaração é  da professora Joana Félix, que venceu as barreiras do preconceito, na infância, para se tornar PhD em Química, pela Universidade de Harvard (EUA). Joana fez graduação, mestrado e doutorado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e estará em Jaboticabal na segunda-feira, dia 25, na abertura do Congresso de Iniciação Científica da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV)/Unesp. Com seu excelente desempenho no doutorado, Joana foi convidada para fazer o pós doutorado em uma das universidades mais conceituadas do mundo,a  Universidade de Harvard. Mas, antes de chegar até Harvard, a professora passou e presenciou muitas coisas em sua vida. “Na hora do intervalo alguns alunos da minha sala danificaram alguns bancos, quebraram algumas coisas. Quando voltamos para a sala de aula, a diretora falou ‘pessoas do nível de vocês nunca vão conseguir nada. Pessoas cujo pais vêm trazer de bicicleta na escola nunca vão conseguir ser nada’.” Joana levou consigo as palavras da diretora, que a ajudaram a vencer na vida. A professora percebeu que dependia exclusivamente dela para conquistar tudo o que conquistou até hoje. Entre os 60 prêmios que ganhou ao longo de sua carreira, Joana destaca um, em especial, a eleição de “Pesquisadora do Ano” no Kurt Politizer de Tecnologia de 2014, concedido pela Associação Brasileira da Indústria Química. Atualmente, Joana é professora na Escola Técnica Estadual Professor Carmelino Corrêa Júnior, em Franca. Ela realizará, no dia 25, às 19h, no Centro de Convenções da Unesp Jaboticabal, a palestra “O conhecimento como instrumento de transformação social”. Segundo a professora, a palestra abordará a importância do investimento na ciência para alunos de ensino médio. “O tema abordará os projetos que desenvolvo na Escola Técnica Estadual Professor Carmelino Corrêa Júnior, com o objetivo de reduzir a evasão escolar no ensino médio e técnico, além de despertar nos alunos o interesse pelo curso, aumentando a sua autoestima e estimulando a criatividade, a inovação e o empreendedorismo”, disse a professora. Ela acredita ainda que “o investimento em educação científica desde a infância, é a peça chave para a construção de uma sociedade democrática, economicamente produtiva, mais humana e sustentável”. Sua palestra fará parte da abertura do Congresso de Iniciação Científica, que acontecerá entre os dias 25 a 27 de setembro, na FCAV/Unesp.          (R.Massafera)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.