Unesp e cana-de-açúcar

171

Uma pesquisa promete revigorar ainda mais os estudos sobre a cultura da cana-de-açúcar, que já é tão forte na nossa região. A pesquisa visa melhorias no manejo do solo e produtividade da cultura e o projeto está em desenvolvimento sob a coordenação do professor do Departamento de Solos e Adubos da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV)/Unesp Jaboticabal, José Eduardo Corá, e colaboração dos docentes do mesmo Departamento, Carolina Fernandes e Edson Luiz Mendes Coutinho, bem como estudantes de pós-graduação e graduação. A pesquisa conta ainda com a colaboração do professor e pesquisador Bruno Basso e sua equipe do Departament of Earth and Enviromental Science da Michigan State University (EUA).
O projeto, financiado pela Fapesp, consiste no estudo da cultura da cana-de-açúcar, visando melhorias na determinação da variabilidade espacial da produtividade e no manejo do solo. Segundo o professor, a pesquisa se desenvolverá durante cinco anos, e será dividida em três partes: determinar as zonas homogêneas de manejo em cana-de-açúcar, de modo a definir zonas com produção estáveis e não estáveis; determinar a melhor época e dose de nitrogênio baseando-se em imagens obtidas com sensores embarcados em drones; desenvolver modelos para estimar a produtividade da cana-de-açúcar, levando em consideração os diversos fatores de produção como as condições de clima, do solo e características da planta (cultura), visando prever o comportamento da cultura para melhorar o manejo da mesma em diferentes condições e situações, de maneira para acelerar a obtenção de resultados.
O professor explica, que para atingir tais metas, será desenvolvido um trabalho com novas tecnologias, para que o resultado seja mais preciso e rápido.
O professor destaca ainda que, “o conhecimento e ferramentas esperadas pelo presente trabalho contribuirão para melhorar os métodos e ferramentas utilizadas para quantificar as necessidades de nitrogênio demandadas pela cultura de cana-de-açúcar, assim como auxiliar produtores a implementar sistemas de gestão mais eficientes e sustentáveis”.
É importante destacar que, embora, os benefícios de se usar abordagens mais precisas para gerenciamento da produção agrícola sejam conhecidos, as ferramentas fornecidas pela agricultura de precisão e outras tecnologias da informação ainda não atingiram de forma plena e consistente a gestão agrícola como um todo.
“A complexidade do sistema agrícola dificulta avaliação dos benefícios financeiros da utilização de novas tecnologias, retardando a sua adoção e difusão. No entanto, esse fato pode ser superado por meio de melhorias do processo de tomada de decisão, integrando tecnologias disponíveis, modelos de decisão econômica e plataformas inovadoras” disse o professor.
O professor ressalta ainda, que o projeto, além de ter o objetivo de buscar melhorias na produção de cana-de-açúcar, ele visa também, desenvolver ferramentas de transferência de tecnologia (sistemas de apoio à decisão e modelos de simulação biofísico e econômico integrados) para disseminar o conhecimento e soluções tecnológicas geradas para estudantes e profissionais interessados em promover adoção de soluções tecnológicas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.