Saaej solicita à população que economize água

214

É claro que se um gasta muito, o outro vai ficar sem. Com a água não é diferente, principalmente quando os reservatórios estão prejudicados pela longa estiagem (quase três meses sem chuva significativa) que vem judiando da saúde dos moradores da nossa região, do abastecimento de água nos bairros mais altos da cidade e até mesmo da economia, uma vez que a lavoura sem chuva terá um plantio tardio de muitas culturas e, é claro, o reflexo disto no mercado será uma alteração de preços. São Paulo e outros estados do Brasil precisam de chuva. E enquanto ela não vem (até o fechamento da nossa edição impressa não havia chovido ainda) no volume e constância adequadas para elevar nossos reservatórios, o jeito é economizar. Este é o pedido do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Jaboticabal (Saaej), que vem, há anos, fazendo campanha pelo uso consciente da água. O presidente do Saaej, André Nozaki, informou que o volume capitado do Córrego Rico diminuiu em quase 25%, o que fez com que fosse ampliado o horário de captação, mas o volume menor vem comprometendo o abastecimento da cidade. “Quem sofre mais são os bairros mais altos porque nossa rede tem um único canal de distribuição, vamos injetando água nesta rede e ela vai primeiro para os locais mais baixos. Estamos fornecendo um volume menor de água, por conta da redução do reservatório, e, por outro lado, o consumo aumentou, em função do calor e da falta de chuvas. Aumenta o gasto com a limpeza da casa e também com o consumo em função do calor”, comentou Nozaki.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.