Aumenta a proliferação de escorpiões em Jaboticabal

296

Moradores de vários bairros de Jaboticabal tem reclamado de uma visita inesperada e nada bem vinda: escorpiões. As altas temperaturas e o aumento das chuvas contribuem para a proliferação de insetos e para o aparecimento de baratas, e, consequentemente, de escorpiões que se alimentam principalmente delas. Segundo a bióloga Daniela Fernanda dos Santos, os aracnídeos saem de seus esconderijos em busca de refúgio, e é exatamente neste momento que eles aparecem dentro das casas. Com isto, o número de acidentes com escorpião aumenta nessa época do ano, principalmente com o escorpião amarelo (Tityus serrulatus), que é o mais comum e um dos mais perigosos.
“A picada do animal pode acarretar sérios riscos à saúde e até matar, porque o veneno é neurotóxico e age no sistema nervoso periférico”, explica a bióloga, lembrando que os mais predispostos a riscos fatais são as crianças e os idosos.
Os escorpiões podem durar até 10 anos e para evitar a presença deles em casa, a bióloga aconselha vedar frestas, vãos, buracos e ralos. “Usar telas de proteção e manter o quintal sempre limpo e com a grama aparada também é importante”, afirma. Como o escorpião se alimenta de barata, evitar o surgimento também ajuda a combater o aracnídeo. Outra dica é descartar pilhas de madeira, cercas, tijolos, ferro velho e entulhos em geral, que são os locais prediletos dos escorpiões. Casas muito próximas à terrenos baldios ou áreas com mato devem, de preferência, ser dedetizadas por empresas especializadas.
São encontrados em praticamente todos os ambientes, porém o crescimento desordenado dos centros urbanos propicia condições cada vez mais favoráveis à instalação e proliferação desses animais junto às habitações, em ambientes domiciliares e ao seu redor. É preciso tomar alguns cuidados para evitar a picada, como sacudir camisas, calças e sapatos antes de usar (veja quadro ao lado).
Maura Guedes Barreto, responsável pela Vigilância Epidemiológica de Jaboticabal, informa que uma vez picada, a pessoa deve ser encaminhada imediatamente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), ainda que tenha plano de saúde. “Na UPA, normalmente é feita a analgesia e verificada a necessidade de soro, que é dado no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, o HC”, explica Maura. Segundo ela, após o atendimento, é feita a notificação para ser enviada ao Sistema de Informação dos Agravos de Notificação, o Sinan. A notificação é encaminhada também para o Departamento de Vetores e Zoonoses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.