Dia de Conscientização da Violência contra o Idoso

4

Será que a pandemia mundial de Covid-19 e epidemia brasileira tem causado algum efeito, além dos problemas de saúde, nos idosos? Quem debate o assunto é a psicóloga Taisa Del Vecchio, que abordou o questionamento no Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, celebrado na segunda-feira desta semana, dia 15 de junho.
Os efeitos que a pandemia da Covid-19 têm causado na vida da população idosa, segundo a psicóloga, vão além dos problemas causados pelo vírus no organismo das pessoas mais velhas, que fazem parte do grupo de risco. Taisa alerta que a situação de distanciamento social pode expandir casos de violência doméstica contra as pessoas idosas porque aumenta a convivência com seus familiares. “Estatisticamente, a maioria dos agressores de pessoas idosas são os filhos e netos”, explica.
Segundo Taisa, outro aspecto importante observado nesse período foi o abandono das pessoas idosas em instituições de longa permanência. “É importante lembrar que mesmo em período de pandemia nenhum direito da pessoa idosa foi suspenso. Ou seja, todos os direitos da população idosa estão vigentes. Durante a pandemia de coronavírus os órgãos de atendimento ao idoso como as delegacias, o Conselho do Idoso e o Ministério Público seguem funcionando, apesar das adaptações”, comenta a psicóloga.
Ela sugere que em caso de suspeita de violência contra um idoso as pessoas acionem imediatamente quem possa garantir a integridade e a segurança dos mesmos. “Qualquer pessoa pode ligar para o disque 100, anonimamente, e relatar a situação”, informa.
Na temática do enfrentamento à violência contra as pessoas idosas é importante desmitificar a ideia de que alguns comportamentos em relação aos idosos são normais. “A desvalorização é um deles. Considerar a pessoa idosa inútil, um peso, exultar, achar graça das dificuldades que a pessoa idosa tem em realizar atividades de vida diária, infantilizar o idoso, apropriar-se de bens e dinheiro, considerando que o idoso não precisa de seu próprio dinheiro devendo fornecer o que recebe à família são exemplos de comportamentos inadequados”, elencou a psicóloga.
De acordo com Taisa, todos têm o dever de zelar pela integridade do idoso e denunciar os casos de violência física, violência autoprovocada, abandono/negligência e violência psicológica. “Infelizmente, nossos idosos não vitimas somente do novo coronavirus, mas também de outras formas tão nocivas quanto a Covid 19”, encerrou a psicóloga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.