O novo normal estabelece uma nova rotina

19

A expressão “novo normal” surgiu e está sendo muito usada nesta pandemia de Covid-19. Famílias dos mais diferentes tipos percebem que hábitos e pensamentos antes raros ou inexistentes, entraram para a normalidade de suas vidas. Fizemos uma “enquete” para saber o que se tornou normal neste momento e as pessoas foram sinceras, algumas engraçadas e outras demonstraram a sua dificuldade de adaptação a este cenário.
A decisão de sair de casa já não é feita da mesma forma. Wilma contou que agora só sai se for estritamente necessário e só vai ao supermercado e à farmácia. Rapidamente e com máscara. Chegando em casa, outra mudança: lavar todas as compras, trocar de roupa e não entrar com os sapatos que usou na rua.
Paula diz que o distanciamento social tem sido ótimo para seu autoconhecimento. Ela está vivendo mais no presente e controlando a ansiedade que sempre teve. “Mesmo porque não sabemos mais o que vai acontecer. A impermanência tão destacada no budismo, pelo jeito, está imperando”, disse ela.
“Parei de ver TV”, disse Jane. Ela estava ficando deprimida com as notícias não só da pandemia e da consequente crise econômica, mas também ficou desanimada com o cenário político do Brasil e os conflitos atrelados a ele.
Engordar sem culpa. “Não sei se é porque estamos trabalhando em casa e a geladeira fica ali, o tempo todo, à disposição ou se é a diminuição de atividade física. Sei que ganhei quatro quilos, mas, pela primeira vez na vida, não estou desesperada. Estou dando graças a Deus de não estar infectada e de poder desfrutar a companhia da minha família em segurança. Depois corro, literalmente, atrás do prejuízo”, contou Janaína.
“Acordar e já pensar em qual vai ser o almoço, o lanche e o jantar. Planejar como será a divisão de tarefas domésticas e conseguir trabalhar com meus filhos praticamente de férias, já que as aulas online não ocupam tanto. Minha rotina mudou completamente. O home office faz a gente trabalhar triplicado”, reclamou Tânia.
Gilberto disse que era muito tranquilo, mas agora começou a ter crises de ansiedade. “Tenho medo de perder o emprego, de pegar esta doença, do SUS entrar em colapso, da economia demorar a recuperar. Minha vida era tranquila e agora normalmente estou ansioso”, contou.
Fábio disse que desde que a pandemia começou ele virou a pessoa mais assídua em todos os veículos de comunicação. “Antes eu só olhava notícias de esporte, agora passo boa parte da noite vendo tudo o que está acontecendo no Brasil e no mundo, na internet e na TV. Sempre com esperança que a vida volte ao normal. Mas quando voltar, acredito que estará sedimentado o hábito de ver notícias diariamente”, apostou Fábio.
“Não uso mais sutiã, não faço chapinha há dois meses e estou adorando trabalhar em casa, sem ter que gastar tempo com deslocamento para o trabalho e ter que buscar correndo minha filha na escola. Por mi, este novo normal poderia durar para sempre”, revelou Fátima, dizendo que está adorando até fazer faxina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.