Pais lotam as lojas de material escolar

177

O ano mal começou e os pais já se deparam com mais uma despesa: a compra do material escolar. Segundo estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) os tributos embutidos nos produtos escolares continuam muito altos, chegando a até 50% do preço do material. “Mesmo tendo abatimento no Imposto de Renda, os gastos com educação pesam muito no orçamento familiar”, argumenta João Eloi Olenike, presidente do Instituto.
O levantamento da incidência tributária nos itens da lista escolar feito pelo IBPT mostra que nos preços de alguns produtos os tributos equivalem a quase metade do seu valor, como a caneta, que tem (47,49%) de impostos, caderno (34,99%) e a régua com (44,65%). “O leão não está para brincadeira, e só pensa em engordar os cofres do governo. Por exemplo, a cola (42,71%), o estojo (40,33%), a lancheira, (39,74%), o fichário (39,38%), o papel sulfite (37,77%), a agenda (43,19%), e todos esses encargos são apenas para pagar os tributos federais, estaduais e municipais.
Os tributos estão embutidos em todos os itens, à exceção dos livros didáticos”, diz Olenike.
“É triste verificar que o governo não dá nenhum incentivo à educação que é uma necessidade básica de todos os cidadãos. No Brasil além do consumidor não receber um serviço de qualidade, ainda é altamente tributado. Os percentuais de tributos sobre os materiais escolares deveriam ser menores já que são indispensáveis para o aprendizado e desenvolvimento das crianças e jovens. Infelizmente, o alto custo dos produtos é um dos fatores que podem dificultar o acesso destes brasileiros à educação”, comenta o presidente do IBPT.

Movimento em Jaboticabal

Mesmo com as altas cargas tributárias cujos pagamentos começam a cair em agosto, os pais não deixam a obrigação de lado e vão em busca do material escolar de seus filhos. Segundo os empresários do setor, no entanto, como todo bom brasileiro, as compras ficam sempre para a última hora.
Janeiro, portanto, segundo eles, tem sido o mês de maior movimento e à medida em que vai se aproximando o fim do mês, o movimentos nas papelarias vai aumentado. As vendedoras comentam que na hora de escolher os produtos, há uma variação. Há pais que preferem as marcas mais conhecidas e mais famosas que, segundo eles, têm mais durabilidade, e há os que optam pelos materiais mais baratos, independente da marca.
A maioria dos pais leva os filhos para acompanhar a compra e, com isto, os estudantes podem escolher a capa preferida dos cadernos e as canetas, lápis e borrachas de seu agrado, sempre com a fiscalização dos pais quanto ao valor da mercadoria escolhida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui.